Kamol Hospital

Masculino para Feminino @ Kamol Hospital


Cirurgia de Redesignação Sexual para Mulheres Trans



O que é Cirurgia de Redesignação Sexual?

          A cirurgia de redesignação sexual (SRS) ou cirurgia de mudança de sexo é a etapa final do processo de assistência às pessoas que sofreram conflitos entre suas percepções sexuais e suas características físicas desde o nascimento, o que na terminologia médica é disforia de gênero. A cirurgia de redesignação sexual transformará o órgão sexual para se adaptar ao estado mental desejado para que a pessoa leve uma vida mais feliz com o novo gênero escolhido.

          Portanto, para se submeter à Cirurgia de Redesignação Sexual (SRS), que é considerada a cirurgia mais importante, abrindo caminho para um novo modo de vida, é necessário preparar os indivíduos, buscando informações pertinentes sobre a operação antes de tomar uma decisão. Essa decisão é especialmente importante ao selecionar o cirurgião certo, equipado com a experiência e os conhecimentos adequados em cirurgia de redesignação sexual. O cirurgião pode criar um órgão sexual feminino, bonito e natural, com uma vagina profunda, proporcional à condição física, capaz de perceber melhor as sensações sexuais. O cirurgião ajudará o paciente submetido à cirurgia a conectar seu estado físico e mental e a ser capaz de levar uma vida feliz.

 

Características necessárias para quem quer se submeter à Cirurgia de Redesignação Sexual como Mulher trans:

  1. A paciente deve ter pelo menos 20 anos de idade. Se a idade for inferior a 20 anos, é necessário que os pais ou responsáveis legais autorizem sua permissão para a cirurgia.
  2. A paciente deve ter tomado continuamente o hormônio feminino estrógeno por pelo menos um ano.
  3. A paciente deve ter sentimentos femininos há muito tempo ou desde as lembranças iniciais / primeiras.
  4. A paciente deve ter levado a vida de uma mulher por pelo menos um ano.
  5. A paciente deve sentir aversão ao seu órgão sexual como se fosse uma parte excessiva do seu corpo.
  6. A paciente foi submetida a um teste psicológico ou psiquiátrico e foi certificada por um psicólogo ou psiquiatra como em estado mental normal e adequado para a cirurgia de redesignação sexual.
  7. A paciente deve estar em boas condições físicas. 

 

O que esperar deste procedimento cirúrgico?

          A cirurgia plástica realizada para ratificar o sexo da mulher trans envolve o uso de pele, tecidos e nervos sensoriais sexuais da paciente para transformar o órgão sexual masculino em um órgão sexual feminino perfeito das seguintes maneiras:

  1. Transforma o órgão sexual no que é mais semelhante ao órgão sexual feminino.
  2. A cirurgia permitirá que a paciente tenha uma vagina tão profunda quanto a pele ou o enxerto de cólon coletado permitiria.
  3. Todos os nervos sensoriais sexuais permaneceriam intactos no clitóris feminino para ter sensações sexuais normais nessa área.
  4. A cirurgia plástica deve ser realizada para ocultar a cicatriz, para que haja a menor chance de ser visível. 

 

Técnicas de Cirurgia de Redesignação Sexual do Dr.Kamol:

  1. A anestesia geral é aplicada à paciente por um anestesista.
  2. Uma dissecção da cavidade neovagina é realizada entre o reto e o trato urinário ao longo da fáscia de Denonvilliers, com aproximadamente 5 a 7 polegadas de profundidade.
  3. A pele que cobre o pênis é usada para criar os lábios internos. O Dr.Kamol oferece muitas opções para a cobertura da parede vaginal, como enxerto de pele escrotal, pele peniana, peritônio e colo sigmoide, depende do desejo e otimismo da pessoa.
  4. O núcleo e as fáscias do pênis são removidos e todos os nervos sensoriais da excitação são mantidos para uso na criação do clitóris e da capa do clitóris.
  5. Os testículos são removidos para diminuir os hormônios masculinos.
  6. O trato urinário masculino diminui, remodelado e o tecido esponjoso do corpo é removido para que a urina possa fluir da mesma maneira que nas mulheres cis. Se esta parte não for realizada corretamente, a urina poderá disparar ao urinar na posição sentada.
  7. As partes externas, como os grandes lábios, pequenos lábios, orifício urinário e clitóris, são reconstruídas para parecerem lindas e perfeitas como um órgão sexual feminino, que ainda pode experimentar sensações sexuais.

 

Procedimentos de Redesignação Sexual

            Os métodos de cirurgia de redesignação sexual disponíveis no Kamol Cosmetic Hospital para construir nova vagina e clitóris são os seguintes:

 

SRS-1 Vaginoplastia sem profundidade vaginal:

          A técnica envolve o uso da pele peniana e do escroto para criar os órgãos genitais externos, como os lábios internos e externos, o neoclitóris e o capuz do clitóris, e a uretra feminina. Como a pele do pênis é usada criar os lábios internos e o capuz do clitóris, a profundidade vaginal é muito insuficiente, a menos que o enxerto de pele cubra a parede da vagina. Este procedimento é adequado para aqueles que não precisam de penetração vaginal de relações sexuais e dilatação vaginal indesejada e ducha vaginal por toda a vida. 

 

SRS-2 Vaginoplastia com enxerto de pele

          Essa técnica envolve o uso da pele peniana e da pele escrotal para criar genitais externos, como lábios internos e externos, neo-clitóris e capuz do clitóris, uretra feminina e vagina.

          No caso de deficiência escrotal da pele, a profundidade da vagina ainda não é satisfatória alcançar a profundidade muitas vezes desejada pela  paciente. Em seguida, o cirurgião plástico considerará o uso de um enxerto de pele de outras áreas, como a virilha ou o abdome inferior, para aumentar ainda mais a profundidade da vagina. O tempo de operação geralmente leva cerca de 4-6 horas para ser concluído. 

 

Vantagens:

          Esta técnica fornece uma operação de apenas um estágio com todas as funções e estética. A maioria dos pacientes não precisa de mais procedimentos de retoque. O procedimento permite que eles também possuam a vagina profunda desejada. 

Desvantagens:

          Esta técnica não é adequada para quem tem pele deficiente. O paciente pode precisar de depilação no eixo peniano e na área ao redor da entrada neovaginal antes da cirurgia, para evitar o crescimento de pelos intra-vagina. Além disso, o enxerto de pele das virilhas pode aumentar a profundidade no caso de pós-orquiectomia.

 

SRS-3 Vaginoplastia com Colo Sigmoid:

            Essa técnica é usada no caso de pacientes com pênis curtos ou para auxiliar pacientes cujas neovaginas tiveram estenose. O método também pode ser usado em pacientes que nunca foram submetidos a cirurgia de redesignação sexual. A vagina, que é feita por uma parte do cólon retossigmóide, terá bom lubrificante e profundidade ideal.

             No Kamol Cosmetic Hospital existem duas opções para o SRS sigmóide do cólon:

            a.Técnica aberta

           O retirado um retalho do colo sigmoide no pedículo com um feixe neuro-vascular intacto por meio da incisão abdominal transversal baixa na linha do biquíni. O comprimento médio do segmento do cólon sigmoide é de aproximadamente sete polegadas. O restante do cólon é anastomosado (reconectada) para fazer a passagem padrão do intestino grosso, que separará o sigmoide e a neovagina. O tempo de operação é de aproximadamente seis horas.


            b. Técnica Laparoscópica
 
            O colon sigmoide é colhido através da laparoscopia de 4 portas. O colon sigmoide é isolado como retalho pedicular com o feixe neurovascular. O cólon é anastomosado com uma ferramenta grampeadora. O segmento do cólon sigmoide é fechado na extremidade superior, depois puxado pelo canal neovaginal e anastomosado à pele do pênis na abertura neovaginal. O comprimento médio do cólon sigmoide é de aproximadamente sete polegadas. O tempo médio de operação é de seis horas. 
 

Vaginoplastia com técnica Peniano-Peritoneal (SRS-PPV)

           Essa técnica é a técnica atual mais avançada e inovadora da neovaginoplastia para mulheres trans. O peritônio é cortado e puxado através do canal neovaginal pelo método laparoscópico. A pele peniana é suturada com o peritônio na entrada da neovagina.

           A neovagina terá auto-lubrificação semelhante à vagina da mulher cis. A neovagina tem menos chance de encolhimento, menor chance de prolapso vaginal. Precisa de menos dilatação vaginal que a técnica de enxerto de pele ou colon, devido à natureza da mucosa peritônio. Essa técnica é um benefício para quem tem colite crônica (doença de Crohn) ou diverticulite crônica. Além disso, não há crescimento de pêlos na parte profunda da neovagina. Usar a técnica combinada de pele peniana e mucosa peritoneal reduzirá o excesso de muco e menos chance de prolapso do retalho peniano. O tempo de operação leva 4-6 horas.

 

Vantagens:

  1. Esta técnica pode ser usada como construção primária ou secundária da neovagina.
  2. Essa técnica é benéfica para pacientes que já foram submetidos a cirurgia de redesignação sexual, como inversão peniana, cuja vagina teve perda de profundidade e são incapazes de realizar relações sexuais.
  3. A vagina possui um lubrificante natural.
  4. Mais fácil de fazer dilatação vaginal do que a técnica de enxerto de pele.
  5. Menos riscos de disfunção intestinal se comparada ao colon sigmoide


Desvantagens e limitações:

  1. O paciente pode apresentar sintomas de dispepsia e/ou indigestão cerca de 2, 3 dias após a cirurgia.
  2. Essa técnica não é adequada para quem está acima do peso ou tem abdome gorduroso.
  3. Em um caso complicado, o paciente pode ter a possibilidade de conversão para técnica aberta ou reconstrução da neovagina do colon sigmoide.

 

Cuidados Pós-Operatórios para SRS (exceto colo sigmoide):

A paciente deve ser hospitalizada por 4 a 6 dias, dependendo da técnica. Para que o processo de cicatrização seja completo e bem-sucedido, é aconselhado:

  1. Durante os primeiros dois dias após a cirurgia, a paciente não deve ingerir alimentos com conteúdo de fibras e bebidas como suco de frutas, leite e iogurte, pois isso provocará a excreção de resíduos. Isso pode levar à contaminação da área da cirurgia pelas fezes.
  2. Durante os primeiros 1-2 dias após a cirurgia, a paciente deve deitar de costas, com os quadris levantados e as pernas ligeiramente afastadas, pois isso ajudará a reduzir o inchaço.
  3. No terceiro dia após a cirurgia, a paciente pode deitar de lado.
  4. No terceiro dia após a cirurgia, o cirurgião removerá o tubo de drenagem, abrirá e trocará os curativos. A paciente que foi submetida à cirurgia de redesignação sexual com enxerto de pele ou cirurgia de redesignação sexual com enxerto de cólon deve permanecer na cama até o sexto dia em que o cateter de urina será removido.
  5. No sexto dia após a cirurgia, as pacientes da cirurgia de redesignação sexual com cirurgia de enxerto de pele terão seu cateter de urina removido. A região da cirurgia será vestida e o paciente poderá ser transferida para o apartamento com serviços (KGarden) para recuperação com cuidados especializados.
  6. A paciente precisa de dilatação da vagina usando dilatadores. Para que a paciente mantenha a largura e a profundidade da vagina, ela deve dilatar a vagina pelo menos duas vezes por dia durante cerca de meia hora de cada vez. Este processo poderá ser feito na enfermaria do KGarden Hotel, anexo ao Hospital, com todo conforto, comodidade e privacidade.
  7. A paciente precisa manter limpa a região da cirurgia e dilatar a vagina pelo menos duas vezes por dia até que esteja se recuperando bem e tudo cicatrizado.
  8. A paciente deve abster-se de relações sexuais por pelo menos três meses.
  9. A paciente deve garantir que ela mantenha sua consulta com o médico uma vez por semana durante um mês para manter resultados satisfatórios da cirurgia. 

 

Cuidados pós-operatórios para SRS-Colo Sigmoide:

  1. Durante os primeiros três dias, a paciente não pode comer ou beber até que a função intestinal se recupere. Nesse período, os pacientes terão líquido por via intravenosa.
  2. A paciente precisa evitar alimentos a granel (grãos) no primeiro mês.
  3. A paciente pode realizar atividades leves após três semanas e retomar as atividades diárias regulares durante o terceiro mês.
  4. A paciente que foi submetida à cirurgia de redesignação sexual com enxerto de colon sigmoide deve evitar beber água ou ingerir qualquer alimento até que possa passar gases. Depois disso, a paciente pode tomar uma pequena quantidade de água ou ingerir alimentos macios. Se a comida demorar muito, podem ocorrer sintomas de indigestão ou dispepsia. Portanto, a paciente dessa técnica deve cumprir rigorosamente as recomendações dos médicos e enfermeiros. 

 

Riscos e Complicações

           As pacientes devem estar cientes de todas as complicações prováveis e raras da cirurgia de redesignação sexual. No entanto, as taxas de complicações operadas pelo Dr. Kamol são muito baixas.

           As possíveis complicações são de menor grau e não tão perigosas quanto a seguir:

  • Inchaço
  • Hematomas
  • Sangramento
  • Infecção
  • Cicatrização precária
  • Necrose

A taxa de complicações é muito baixa, normalmente, menor de 1%, da seguinte forma:

  • Estenose uretral
  • Diminuição de sensação
  • Trombose de veia profunda
  • Risco oriundos da anestesia
  • Fístula reto-vaginal

Os resultados desfavoráveis variam de acordo com cada indivíduo, dependendo das expectativas ou dos cuidados pós-operatórios da seguinte maneira:

  • Insatisfação com o tamanho ou formato do trato uretal e clitoris
  • Assimetria dos lábios
  • Perda de profundidade vaginal
  • Estenose vaginal


Cirurgia de Redesignação Sexual para Mulheres Trans Contorno Facial Antes e Depois




Ver mais



Reviews Cirurgia de Redesignação Sexual para Mulheres Trans





CONTACT US
Consultations Daily : 08:30-18:00
Request a consultation